Perfil profissional

Todo mundo está meio cansado de ver, ler e comentar sobre as tendências da moda. É um assunto que dificilmente chegaremos a uma conclusão duradoura, afinal, tem muito pano pra manga e novidades a cada 5 minutos.

Entre milhões de outras propensões mundiais que envolvem comportamento e entretenimento, nenhuma delas está tão em evidência quanto a vasta lista de profissões que determinam essas tendências que vimos nas ruas.

Profissões que se tornaram mais glamourosa de uns anos pra cá, apesar de sempre terem feito parte da história da nossa sociedade. Uma das mais charmosas na atualidade é, sem dúvida, a de chef de cozinha. “Apenas” o responsável por agradar aos paladares mais exigentes dos Jet sets.

Grandes nomes estão sendo construídos através de muita dedicação e apesar de todo o glamour, a vida dos cozinheiros sofisticados está longe de ser um mar de rosas. É o que explica o Chef de cozinha Guga Rocha.

Guga Rocha, 34 anos, Chef executivo da Maison Terroir, na cantina Aurora, consultor e também professor no Madame Aubergine, Vianddier e da Blue Ville. Formando pela UNIP e cursos de aperfeiçoamento do SENAC.

1) Quando despertou o interesse pela gastronomia?

A essência da gastronomia eu aprendi com minha avó ainda na infância ela era chef pâtissier e essas lembranças sempre me enchem a memória de sabores.

2) Estilo:

De vestir? Sei lá, sou bem simples gosto do básico.

3) Um Ídolo:

Todo mundo tem algo para ensinar, sejam os parentes, o Bono Vox ou o pasteleiro da feira da esquina. Idolatro o lado bom das pessoas.

4) Prato predileto:

Gosto da diversidade, de ser surpreendido. Mas para citar um, sushi (Jun Sakamoto).

5) O restaurante predileto:

Aí é maldade… Tem uns 10 empatados. Mas no Brasil vou citar a casa da Lurdes Hernandes, minha amiga e fantástica cozinheira, faz comida mexicana de verdade. E é em sua casa, meio secreto e delicioso.

6)  Especialidade do chef:

Cozinha Fusion. Unir o que as escolas gastronômicas de diferentes países têm de melhor para criar algo novo.

7)  A melhor experiência profissional:

Toda experiência é gratificante, mas participar do super chef na Ana Maria foi muito legal, poder ver como funciona a globo por dentro. Aprender com grandes chefs de cozinha que foram ao programa muito bom.

8 ) O que é necessário para se tornar um Chef?

Amor pela profissão, espírito de liderança, muito estudo, organização e um olhar de criança para as coisas do mundo.

9)  O que é mais difícil no mercado de trabalho?

A vida pessoal fica um pouco em segundo plano, pelos horários e correria…

10) Quais habilidades necessárias pra ser um profissional reconhecido?

Fora as técnicas culinárias… Acho que ter uma marca dentro do universo gastronômico como uma cozinha diferente e vibrante, se comunicar bem, as ferramentas da internet ajudam muito na divulgação do trabalho e das pesquisas.

11) O melhor chef atualmente:

Lá fora o Ferrán Adriá e aqui dentro o Alex Atala. Mas o que é ser o melhor? Isso é muito subjetivo. Mas é bom citar chefs novos que tem um trabalho diferenciado com o Rodrigo Oliveira do mocotó (SP), Willian Chen do Babel (DF), Mariana Palmeira e Dalton Rangel do Yuca (RJ), Wandersson Medeiros do Picuí (AL)… Enfim uma galera nova que vem chegando aí com tudo e que tem que mostrar para o Brasil.

12) Que livro você indica pra quem está interessado em estudar gastronomia?

Todas as técnicas culinárias Le Cordon Bleu e Chef profissional do Instituto Americano de Culinária… Ler é ponto importante, não só de cozinha, mas de história, de cultura geral para poder saber de onde veio o que usamos na cozinha e como foi desenvolvido historicamente.

13) E o seu livro do que se trata?

Escrevi junto com a Drª Leda Almeida do museu Theo Brandão de Maceió o livro Um Sabor Quilombola. Uma pesquisa da cozinha dos quilombos do Brasil com uma visão histórica importante e leve e mais de 100 receitas dos quilombos. Esperamos que saia ainda esse ano.

14) Material de trabalho fundamental:

O material humano. Temos de aprender que as pessoas são tão ou mais importantes que os ingredientes e a estrutura física de um restaurante. Uma equipe feliz faz uma comida melhor, um garçom satisfeito serve melhor a mesa, fazer com amor e técnica.

Contatos:

chefgugarocha@hotmail.com // (11) 6339-4269 begin_of_the_skype_highlighting              (11) 6339-4269      end_of_the_skype_highlighting.

Algumas escolas em São Paulo:

Senac São Paulo Tecnologia em Gastronomia

Duração: 2 anos

www.sp.senac.br

Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio (Ceunsp)

Curso Superior de Gastronomia

Duração: 2 anos

www.ceunsp.edu.br

Anhembi Morumbi

Graduação Tecnológica em Gastronomia

Duração: 2 anos

portal.anhembi.br

Universidade Paulista – UNIP

Curso Superior de Tecnologia em Gastronomia

Duração: 2 anos

www.unip.br/default.asp

Xêro,

Tyta Melro

.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: