Na hora. (solteira ou casada)

Não sei você, mas eu já “enchi baldes” assistindo aos clichês das boas comédias românticas hollywoodianas. Sexta a noite então, era sagrado lembrar o quanto eu era solteira, sem graça e sem grana.

O curioso nesses filmes é que no fim da trama os casais apaixonados sempre se casam e viajam pra Europa. E isso me trazia um grande conforto e esperança de que a minha história não acabaria em um puff de uma boate, sozinha, as 3:00 horas da manhã.

Não que esses sofás e puffs deixem de ser interessantes e agradáveis, principalmente para as pessoas solteiras e sem prazo para uma possível mudança de status.

E é com muita franqueza que admito que as maiores aventuras na vida de um ser vivente acontecem quando, o mesmo possui um titulo de solteiro sem pressa.

Nessas ocasiões e com o pretexto de sermos livres e jovens (ou não) cometemos as maiores extravagâncias, nos alienamos totalmente do nosso poder mental e esquecemos por diversas vezes algumas regras básicas da boa convivência com a sociedade.

E sinceramente, isso é o que fazemos de melhor, de mais verdadeiro e espontâneo por uma boa parte das nossas vidas.

Conforme a norma, as coisas que se repetem e não nos promovem mais benefícios, estão sujeitas a perderem a importância. Nesse momento parece que a nossa maneira de pensar e a nossa disposição corpórea mudam de freqüência, e passamos pra um novo nível do jogo, nas quais perseguimos coisas com um valor mais decisivo.

É quando começamos a passar as sextas feiras assistindo os filmes românticos em casa. Entenderam agora como se dá o ciclo da vida? Nascemos, crescemos, curtimos, cansamos e casamos. Claro que entre essas fases existe um pormenor determinante, o quanto apaixonada você ficou por aquele cara que não tinha nada a ver com você (ou tinha).

Agora sim chegamos à fase onde as melhores aventuras da vida vão ser realizadas a dois, e tudo que você fizer ou pensar, será exclusivamente pra ele. Planejar o fim de semana em casa vai se tornar um hábito delicioso, as comédias românticas serão mais comédias do que românticas e toda economia pra comprar aquela bolsa da Gucci, vão pra o sofá.

Eu, particularmente, amo a vida de casada muito mais do que já gostei da de solteira. Me sinto livre pra cometer as maiores insensatez a dois e de voar junto pra onde eu quiser. E apesar do mundo hoje em dia conspirar contrariamente aos apaixonados, o que os mantêm vivos pelo infinito é a parceria e a paixão de sempre!

Mas se ainda assim você não acredita mais ou falta inspiração pra pedir ele em casamento, é só assistir outra vez a todos aqueles filmes entusiasmastes, encher o peito e se declarar. Est seul l’amour!

Aqui vai a listinha de filmes:

O diário de Bridget Jones – 1, 2,3

Simplesmente amor

Um lugar chamado notting Hill

Como se fosse a primeira vez

Doce novembro

O amor acontece

Mensagem pra você

la douce

Novidades no amor

E se fosse verdade

Embriagado de amor

Alguém tem que ceder

Idas e vinda do amor

Simplesmente complicado.

***

Xêro,

Tyta Melro

.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: